Mulher sorrindo na cama
Sexualidade

Como o sexo afeta o corpo: bioquímica e fisiologia da vida sexual

O quão benéfico o sexo afeta o corpo tornou-se conhecido com o desenvolvimento da ciência. Estudos comprovaram que a proximidade provoca reações bioquímicas, regula a circulação sanguínea, fornece um efeito preventivo, protegendo uma pessoa de muitas doenças. Os cientistas conseguiram rastrear o efeito da atividade sexual na saúde.

Algumas palavras sobre os benefícios da vida sexual regular

Como o sexo afeta de maneira abrangente a saúde de uma mulher, especialistas de várias áreas da medicina e ciências relacionadas o estudaram. A intimidade é uma necessidade básica, como comida, água e ar. Além do prazer, ele também regula o fundo hormonal, tem um efeito benéfico no sistema nervoso autônomo, no sistema nervoso central e em vários órgãos.

Este é um componente importante das relações entre representantes de diferentes sexos. A intimidade reúne parceiros, aprofunda seu relacionamento. Contribui para o estabelecimento de um vínculo harmonioso, portanto, a reprodução não é o único objetivo da intimidade. É necessário como parte de um relacionamento, como um meio de manter a saúde, o bem-estar físico e mental.

O sexo é útil e inútil

Hoje, todo adulto conhece os benefícios do sexo, pois a informação é disseminada de várias maneiras. O sexo regular é útil para a prevenção de doenças do sistema cardiovascular. Melhora o suprimento de sangue para os órgãos pélvicos. Os cientistas também identificaram os efeitos benéficos da proximidade na saúde mental. Mulheres que gostam de intimidade regularmente lidam efetivamente com o estresse e têm menos probabilidade de sofrer de transtornos depressivos.

Como a ausência de sexo não é boa para a saúde, a abordagem incorreta pode anular todos os efeitos positivos. Não conte com benefícios em tais situações:

  • a mulher está cansada demais, não possui recursos energéticos para satisfazer um parceiro;
  • a intimidade não traz prazer, não termina com detenção e orgasmo;
  • a relação sexual ocorre em um contexto de forte desarmonia emocional e conflito;
  • a proximidade contém elementos inaceitáveis ​​para um dos parceiros;
  • muito temperamento sexual, níveis de necessidades.

Se os cônjuges não forem bem nos relacionamentos interpessoais, as alegrias no leito não resolverão seus problemas. Em meio a desacordos, a proximidade não satisfaz os parceiros e, a longo prazo, pode se transformar em um desejo que se esvai. Para evitar isso, as relações sexuais precisam ser construídas em harmonia, amor mútuo, respeito pelas necessidades uns dos outros.

Os efeitos na saúde do sexo na terceira idade

Ao contrário da crença popular, pessoas com mais de 50 a 60 anos não perdem a paixão por casos amorosos. Do ponto de vista fisiológico, a proximidade é possível. Os casais mais velhos observam que, com a idade, o sexo começou a trazer mais prazer, e o nível de liberdade alcançado permite que os parceiros descubram mais profundamente o mundo do prazer. Além disso, a intimidade na velhice tem um efeito positivo na saúde de mulheres e homens:

  1. A proximidade elimina a deficiência de hormônios sexuais. Durante a relação sexual, a produção de estrogênio nas mulheres e testosterona nos homens é estimulada.
  2. A normalização do fundo hormonal retarda o processo de envelhecimento, melhora a aparência e o bem-estar. As mulheres que não se recusam a fazer amor com a idade, envelhecem lentamente, sempre parecem boas.
  3. Devido à normalização da circulação sanguínea durante a atividade física, a intimidade é capaz de afetar a saúde do coração. A proximidade reduz o risco de morte por ataque cardíaco, derrame, fortalece o músculo cardíaco, aumenta a elasticidade vascular.
  4. A prática regular da cama permite que casais maduros mantenham um peso corporal estável, força física e tônus ​​muscular.
  5. O risco de desenvolver doenças do sistema genito-urinário é reduzido, eliminando processos estagnados e estimulando a circulação sanguínea.
  6. Aumenta a estabilidade psicológica, capacidade de lidar com o estresse.

A atividade sexual permite manter um alto nível de qualidade de vida em qualquer idade; portanto, os especialistas não recomendam ignorar as alegrias do amor após o término do período reprodutivo.

 O que acontece com o corpo feminino na ausência de intimidade

A abstinência é um fenômeno indesejável para um adulto. Como resultado da rejeição do amor carnal, a falha hormonal ocorre no corpo.

Um desequilíbrio acarreta consequências negativas:

  1. O nível de endorfinas diminui. Afeta o bem-estar, o humor e a saúde mental.
  2. Devido ao desequilíbrio hormonal, aumenta o risco de desenvolver doenças endócrinas.
  3. A fome sexual afeta o bem-estar psicológico das mulheres. A produção de serotonina, dopamina e endorfinas, responsáveis ​​pela vitalidade, alegria e bom humor, é significativamente reduzida.
  4. A abstinência provoca a produção de hormônios sexuais femininos que afetam adversamente a condição da pele, unhas e cabelos.
  5. Gradualmente, a função sexual diminui, reduz significativamente a libido. Mas os médicos dizem que este é um processo reversível, de modo que uma mulher não espera impotência sexual completa como resultado de um intervalo temporário.

Quão negativamente a falta de uma vida íntima estabelecida afeta a saúde das mulheres é determinada individualmente. Mas, em geral, a abstinência constante viola significativamente a bioquímica no corpo e a natureza cíclica de todos os processos.

O que acontece com o corpo de um homem com abstinência prolongada

Assim como a falta de sexo regular afeta uma mulher, a abstinência prejudica os homens. A falta de intimidade afeta a saúde física e mental. Se um homem se abstém por muito tempo, ele pode desenvolver problemas relacionados ao sistema reprodutivo e ao trabalho de todo o organismo:

  1. O bem-estar emocional sofre. Irritabilidade aparece, a capacidade de resistir ao estresse diminui. Com o tempo, um distúrbio depressivo pode se desenvolver.
  2. A abstinência afeta a saúde do sistema reprodutivo. Há um mau funcionamento na regulação hormonal. Um desequilíbrio aumenta o risco de desenvolver doenças da próstata e do sistema endócrino.
  3. A insatisfação a longo prazo é a causa da impotência precoce. Relações sexuais irregulares ou raras são um fator que influencia o desenvolvimento de distúrbios sexuais, por exemplo, provocam ejaculação precoce.
  4. Os psicólogos estabeleceram uma conexão entre a abstinência e o desenvolvimento de maus hábitos. A libido pode ser sublimada para outras atividades que são prejudiciais à saúde.
  5. Devido ao sexo raro nos homens, as enxaquecas podem começar a se desenvolver. Dores de cabeça são causadas por uma deficiência de ocitocina e endorfinas.
  6. Como resultado de uma completa rejeição da atividade sexual, um homem corre o risco de sofrer de distrofia do tecido muscular devido à falta de testosterona. Um atleta que trabalha na construção muscular é estritamente contra-indicado na fome sexual.

A abstinência é prejudicial aos homens também porque afeta muitas áreas da vida. Por causa disso, a auto-estima diminui, a tendência à agressão aumenta. Como resultado de uma longa ausência de intimidade, os homens ficam algemados e sombrios, ficam isolados em si mesmos e não conseguem estabelecer relacionamentos sociais saudáveis.

Mitos sobre os efeitos de relacionamentos íntimos na saúde

Os cientistas fizeram dezenas de estudos para entender como a falta de uma vida íntima afeta a saúde. Mas os mitos sobre esse assunto ainda são populares na sociedade. A ciência nega informações falsas sobre o efeito do sexo na saúde e no bem-estar humano.

O mito mais popular é que um adulto precisa de sexo pelo menos 3-4 vezes por semana para manter a boa saúde. De fato, não existem regras e instruções claras sobre a frequência das relações sexuais. Depende das características individuais do corpo. Deve haver sexo suficiente para que uma pessoa não se sinta insatisfeita.

Uma afirmação popular é que o sexo reduz o risco de câncer. Esses dados foram publicados por cientistas americanos em 2004 em uma revista científica oficial. Mais tarde, porém, em um estudo mais detalhado da questão, eles puderam descobrir que isso não é verdade. O sexo aumenta a resistência do corpo a infecções e impede o desenvolvimento de processos inflamatórios. Esses fenômenos são apenas fatores que contribuem para o desenvolvimento do câncer. Há apenas uma conclusão: o sexo é útil para fins preventivos, mas não é capaz de eliminar completamente o risco de câncer.

Também se acredita popularmente que a deficiência de sexo leva a irregularidades menstruais e menopausa precoce nas mulheres. Mas a ciência refutou essa afirmação ao provar que o momento da menopausa é determinado pela genética e pelo estado de saúde. O nível de atividade sexual não afeta o ciclo menstrual de forma alguma; portanto, se ocorrer um distúrbio, outras causas devem ser buscadas.

Outro mito – o sexo ajuda a combater o ganho de peso, é eficaz na prevenção e tratamento da obesidade. Os defensores dessa idéia explicam sua posição pelo fato de que a intimidade está associada à atividade física. Mas isso não é inteiramente verdade. O sexo não tem efeito significativo no peso corporal. Há uma razão – baixo consumo de calorias. O treinamento para substituir os prazeres da cama não funcionará, mas seu uso adicional será beneficiado.

Fazer amor é útil e necessário, mas eles não podem ser considerados remédios. Eles harmonizam a saúde psicológica e física, proporcionam um efeito preventivo, mas não curam. Se houver sintomas alarmantes, você não deve confiar no sexo, é melhor ir imediatamente ao médico para resolver o problema.

Como obter o máximo benefício e prazer do sexo

Existem nuances que ajudarão você a obter o máximo benefício e prazer do sexo. Eles não dependem do temperamento e idade da pessoa. Para fazer isso, você precisa aprender as regras básicas de sexo útil e agradável:

  1. É preciso aprender a recusar se não houver força ou humor. É melhor transferir uma noite romântica para um momento mais favorável.
  2. Se o desejo for constantemente suprimido pela fadiga, consulte um médico ou comece a tomar suplementos e vitaminas.
  3. A culpa e a vergonha anulam o prazer. Se essas emoções estiverem presentes na cama, a intimidade não trará retenções.
  4. Converse com seu cônjuge ou parceiro sobre suas necessidades. Desejos expressos são o primeiro passo para sua realização.
  5. A emancipação e uma atmosfera confortável incentivam o relaxamento, ajudam a desfrutar de alegrias amorosas.
  6. Para estabelecer harmonia na cama, você deve desenvolver constantemente suas habilidades, não esquecendo de diversificar o processo.
  7. Você deve escolher um método contraceptivo confiável e, ao encontrar parceiros não verificados, precisa se lembrar sobre a proteção contra infecções genitais.
  8. A qualidade do sexo afeta o humor. Mas o humor com que o casal vai para a cama afeta o nível de prazer do processo.

A influência da vida sexual no corpo feminino não é exagerada – é um componente importante dos relacionamentos que melhora significativamente os indicadores de saúde. A harmonização da esfera íntima é um passo em direção a uma vida longa e saudável.

Fontes:

Psych Central.com
Psychology Today
Very Well Mind
Helpguide

Você também pode gostar...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *